Buscar
  • BDB Cultural

Pioneira da pesquisa de florais na Amazônia dá palestra na BDB Cultural


  • Conversa integra a programação do “Mulher Empoderada” e será exibida nas redes sociais da iniciativa no próximo dia 19


FOTO: Maria Alice Campos Freire - Divulgação

Muitos filmes têm uma trama em que um grupo de pessoas fica perdido na floresta e é como se estivessem em um deserto. Se Maria Alice Campos Freire estivesse na história, aí tudo ficaria mais fácil. Após décadas acumulando, aprofundando e fazendo grandes descobertas sobre a Amazônia, ela se tornou uma espécie de biblioteca viva dos poderes curativos das plantas — e também uma mulher de negócios que quer fazer os produtos da floresta conquistarem o mundo.


Para contar a história dela e das ONGs e institutos que ajudou a fundar com foco nas relações entre saúde pessoal e os produtos amazônicos, a BDB Cultural recebe essa professora para um bate-papo. A conversa integra a programação do “Mulher Empoderada” e será exibida nas redes sociais da iniciativa no próximo dia 19, quarta-feira, às 21h.


“Para mim a Amazônia sempre foi uma referência de potência, de vida, uma fonte de medicamentos, de plantas poderosíssimas, de cultura muito forte, de água para todo o planeta. Fui para lá em busca de autoconhecimento: dentro de uma natureza tão original, queria encontrar a originalidade da minha natureza. Esse foi o meu movimento e com certeza valeu a pena, considero a Amazônia a minha pátria e dali eu recebi muita coisa. Tudo que eu precisei e muita coisa para socorrer as pessoas que me procuram também”, afirma Maria Alice.


Uma das líderes da formação da ONG Centro Medicina da Floresta, Maria Alice encontrou na parceria com Isabel Barsé e a investigação dos florais um meio de sustentar a ONG e também de aprender mais com a floresta. O negócio, fundado no início dos anos 2000, nunca deixou de se expandir. "Quando a gente começou a pesquisa dos florais, eu e Isabel, a gente colocou os florais para serem produzidos dentro do centro, o que começou a dar um pouco de renda para o centro, um recurso já que essa terapia floral se difundiu muito rapidamente. Nós não tínhamos a menor ideia que aquele trabalho ganharia a proporção que tem, mas hoje nós vemos que ele promete muito mais, o interesse das pessoas é muito grande”, afirma ela.


“Temos muitos desafios pela frente, mas acreditamos nos florais da Amazônia que trazem essa grande potência de vida, de originalidade, da floresta. Eles ajudam as pessoas a se conhecerem, a se orientar. A coisa mais importante do meu trabalho é isso, é contribuir para essa consciência de que somos uma parte da natureza, não somos os seres mais importantes e nem somos uma outra coisa. Somos parte deste organismo que é o planeta, com milhares de vidas, que se nós entrarmos em uma sintonia da cooperação, isso nos traz muitos benefícios. Você vê aquela infinidade de seres na floresta que não vivem em competição. As árvores, por exemplo, não competem por luz, elas cooperam com árvores grandes distribuindo energia para as pequenas e para os arbustos. A verdadeira natureza dos seres é a harmonia”, acredita ela.

Sobre a BDB Cultural

A BDB Cultural é uma iniciativa do governo federal, por meio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, em parceria com a Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles (BDB) e, por meio de um termo de colaboração, com a organização social Voar Arte para a Infância e Juventude. A agenda que o projeto executará na BDB segue até dezembro 2022.

“Com a BDB Cultural, vamos continuar realizando uma programação cultural que possa servir de referência a outras bibliotecas do país, visando inspirar esses espaços tão importantes para o livro, a leitura, a literatura, enfim para a cultura e a cidadania como um todo”, diz o coordenador-geral da BDB Cultural, Marcos Linhares.

Para saber mais sobre os próximos cursos e eventos oferecidos, acompanhe as novidades da BDB Cultural no Youtube (https://www.youtube.com/c/BDBCultural), no Facebook (https://www.facebook.com/bdbcultural), Instagram (https://www.instagram.com/bdbcultural/) e no site www.bdbcultural.com.br da iniciativa.

Sobre Maria Alice Campos Freire

Maria Alice Campos Freire é mãe, avó e bisavó. Profissionalizou-se na área de educação e dedicou- se à educação em comunidades de baixa renda e ao resgate do viés cultural na reconstrução da qualidade de vida das populações. Sua missão a levou a percorrer o mundo, viveu no Chile, na Europa e na África. No Continente Africano encontrou suas raízes ancestrais e despertou para a pesquisa do poder curativo das plantas. De volta ao Brasil em 1979, foi levada à Amazônia, com o propósito de se aprofundar no caminho do autoconhecimento.

Viveu 23 anos no interior da floresta amazônica, onde desenvolveu seu trabalho como educadora, terapeuta, empreendedora social, na Vila Céu do Mapiá. Após 7 anos este processo culminou com a fundação da ONG Centro Medicina da Floresta- CMF, que presidiu durante 17 anos, tendo como foco principal a educação e formação de jovens no cultivo deste legado cultural, a preservação ambiental e o atendimento à população, através do fornecimento gratuito de seus produtos terapêuticos, que hoje integram o SUS.

Desenvolveu o sistema de essências Florais da Amazônia em parceria com Isabel Barsé, e a extensão desta pesquisa – Iapuna, no Vale do Juruá, em parceria com sua filha Júlia Freire de Medeiros e diversos companheiros de comunidades tradicionais da região. Hoje divulga internacionalmente estes estudos, tendo atuado com eles em cursos e atendimentos, na Europa, Ásia, América do Norte e do Sul, e em vários estados do Brasil.

Serviço:

BDB Cultural – Janeiro de 2022

Mulher Empoderada, “Mulheres que levam o Brasil para o mundo”, com Maria Alice Freire, uma das desenvolvedoras do Sistema Florais da Amazônia.

19/01, quarta, a partir das 21h- Transmissão no Facebook e no Youtube da BDB Cultural.

Outras informações:

Site www.bdbcultural.com.br

Facebook.com/bdbcultural

Instagram - @bdbcultural

12 visualizações0 comentário