Buscar
  • BDB Cultural

Mesa reúne dicas para evitar o tráfico de pessoas


  • Informar-se é a melhor arma para não cair em golpes, garantem os participantes do debate que vai ao ar no dia 30, sexta-feira, às 21h, nas redes sociais da BDB Cultural



FOTO: Cristiane Krumenauer - Divulgação


A oportunidade de ter uma vida mais confortável muitas vezes pode esconder uma ameaça. Um dos golpes mais terríveis que são aplicados àqueles que tem esperança de mudar de vida é torná-los vítimas do tráfico de pessoas, escravos modernos com cargas horárias e funções desumanas que são isolados em uma região que eles não conhecem. Mas como sempre, a grande arma contra o engano é a informação.


A mesa "A ficção e a realidade do tráfico de pessoas” traz o debate deste tema ao centro das atenções na BDB Cultural justamente no Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas, dia 30, às 21h, com a presença das escritoras Cristiane Krumenauer e Lúcia Aeberhardt, além do policial rodoviário Marco Antônio Pampolha Gomes. A discussão se centrará principalmente nas ações de conscientização para que as pessoas não sejam vítimas do tráfico.


FOTO: Lúcia Aeberhardt - Acervo pessoal


"O combate, claro, passa também por ações do poder público e o policial rodoviário Marco Antônio Pampolha Gomes já coordenou operações neste sentido. Entretanto, ele também sustenta que a principal defesa de cada um é a sua própria conscientização. “Eu destaco duas formas de combate pelo poder público: a ostensiva, com a fiscalização de órgãos competentes; ou a programada, com denúncias e o planejamento de inteligência feito por estes órgãos. Mas as pessoas podem se proteger com informação. Alguns sinais podem indicar que está havendo um aliciamento das pessoas, como a retenção da carteira de trabalho por terceiros, a ausência de conhecimento do endereço do local de trabalho ou de hospedagem na nova localidade de residência e uma restrição da possibilidade de se comunicar com os familiares”.



FOTO: Marco Antônio Pampolha Gomes - Acervo pessoal


Além de evitar que as pessoas sejam vítimas deste golpe, porém, o evento também buscará dar ferramentas ao público para que essa situação seja superada. “Assim como é a esperança de uma vida melhor que leva pessoas em situação de vulnerabilidade a aceitarem propostas enganosas, é a esperança que pode tirar as pessoas da situação de traficadas. Acho que o que ligaria o alerta mental para que essas pessoas se reconheçam como vítimas do tráfico é a apresentação de uma luz no fim do túnel, acredito que alguns não queiram reconhecer sua situação pois seria cruel demais para si próprio admiti-lo. Em contrapartida, se a sociedade apresentar uma saída, a temida pergunta do ‘e o que vem depois de eu me reconhecer como traficado?’, pode ser respondido com esperança, já que é preciso conhecer os caminhos antes de iniciar uma jornada rumo à libertação”, conclui Cristiane Krumenauer.

Sobre a BDB Cultural

A BDB Cultural é uma iniciativa do governo federal, por meio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, em parceria com a Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles (BDB) e, por meio de um termo de colaboração, com a organização social Voar Arte para a Infância e Juventude. A agenda que o projeto executará na BDB segue até março de 2022.


“Com a BDB Cultural, vamos renovar a prática de ser uma referência a outras bibliotecas do país para que elas possam abrir suas asas para voos mais altos e dar vida aos seus espaços”, diz o coordenador-geral da BDB Cultural, Marcos Linhares.

Para saber mais sobre os próximos cursos e eventos oferecidos, acompanhe as novidades da BDB Cultural no Youtube (https://www.youtube.com/c/BDBCultural), no Facebook (https://www.facebook.com/bdbcultural), Instagram (https://www.instagram.com/bdbcultural/) e no site www.bdbcultural.com.br da iniciativa.

Sobre os convidados

Cristiane Krumenauer é autora de quatro romances policiais: O preço de uma vida, A máscara de flandres, Atrás do crime e Chamas da noite. Também publicou “Memória, imaginação e narração” (NEA) e uma série de textos de suspense, “Contos da Namíbia” (autopublicação), no qual coletou relatos de pessoas de diferentes tribos quando residiu na Namíbia (África). É formada em Letras pela Unisinos, especialista em Literatura pela UFRGS e mestre em Linguagem, Interação e Processos de Aprendizagem pela UniRitter (Laureate International Universities). Além de escritora, é professora, mãe e esposa em tempo integral.


Lúcia Aeberhardt é brasileira de São Paulo, naturalizada suíça, onde vive há mais de três décadas. Nos últimos 20 anos tem se dedicado às artes e a mudança social, através do projeto MADALENA’S Suíça-Brasil, onde defende direitos humanos das vítimas de discriminação racial, homofobia, violência doméstica e tráfico humano. Graduada em Publicidade, Teologia e Estética Internacional, com pós-graduação em Comunicação, a empreendedora social tem prêmios nacionais e internacionais, por seus trabalhos literários e sociais. Constam, em seu currículo, oito livros publicados em português, francês, alemão e inglês, sendo um deles direcionado ao público infantil, além de ser participante e coautora em várias antologias.


Marco Gomes é Policial Rodoviário Federal há 15 anos, presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado do Tocantins, Diretor de Comunicação da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários, presidente da União Geral dos Trabalhadores no Tocantins. Já atuou em diversas ações em conjunto com o MTE no resgate de trabalhadores em condições análogas a escravidão.

Serviço:

BDB Cultural – Julho de 2021

Mesa "A ficção e a realidade do tráfico de pessoas” volta as atenções ao tema do Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas com a presença das escritoras Cristiane Krumenauer e Lúcia Aeberhardt, além do policial rodoviário Marco Antônio Pampolha Gomes.

30/7 - Transmissão no Youtube e no Facebook da BDB Cultural, às 21h.

Outras informações:

Site www.bdbcultural.com.br

Facebook.com/bdbcultural

Instagram - @bdbcultural

9 visualizações0 comentário