Buscar
  • BDB Cultural

La Fontaine: de dono de ácidas críticas a autor infantil


  • Os professores Margarida Patriota, Sara Rabelo e Lemuel Gandara mostram como a obra do fabulista foi lida e reinterpretada ao longo dos últimos 400 anos


FOTO: Retrato de Jean de La Fonteine pintado por Hyacinthe Rigaud, em 1690 - Creative Commons


A raposa é ardilosa. A lebre é apressada. O leão é o rei da salva... Para cada animal, La Fontaine foi capaz de estabelecer um arquétipo que revela muito da humanidade. Neste mês são celebrados os 400 anos do nascimento do fabulista francês e a BDB Cultural discute a profundidade e o impacto de sua obra na literatura, especialmente para crianças, em um bate-papo entre especialistas que será transmitido no dia do quarto centenário do autor: dia 8, quarta-feira, às 21h, nas redes sociais da iniciativa.


O evento contará com a participação das professoras Margarida Patriota, Sara Rabelo e do pesquisador Lemuel Gandara, todos admiradores da obra do autor de histórias que até hoje nos são tanto familiares como atuais, tais como “O leão e o rato” e “A lebre e a tartaruga”. Há quem ache que estas histórias foram ultrapassadas pela modernidade, mas não é o caso do professor Lemuel — que ministrou um curso na Universidade Aberta do Brasil só sobre o escritor francês.


FOTO: Lemuel Gandara - Acervo pessoal

“A maioria das fábulas que ele reúne eram coletivas, histórias que eram guardadas mentalmente e que trazem morais que aparecem para nós de diversas formas até hoje, até nos super-heróis do cinema. Jung nos ajuda a pensar essas histórias como parte do inconsciente coletivo, elas trazem para a realidade histórias que nos habitam mesmo antes de conhecê-las, materiais que formaram nossa sociedade e que são sempre retomados e reforçados involuntariamente. La Fontaine os traduziu muito bem”, diz ele.



FOTO: Sara Rabelo - Acervo pessoal


Ele é acompanhado em seu pensamento pela professora Sara Rabelo. “No século XVII não havia uma concepção de infância como nós temos. Estas histórias, portanto, não foram feitas para crianças, que para eles eram apenas versões pequenas de adultos. O ensinamento que elas carregam, portanto, é para todos, e têm, claro, uma função muito educativa ao explicitar a moral da história, mas isso também têm um impacto de ensinar quem escuta ou lê a refletir criticamente sobre a sociedade em que está inserido”, afirma ela.


FOTO: Margarida Patriota - Acervo pessoal

A professora veterana Margarida Patriota é quem arremata o debate e revela que ao contrário de querer estabelecer modelos rígidos de pensamento com suas "morais da história", La Fontaine era contrário ao autoritarismo vigente. “Uma parte das fábulas que ele escreveu é bastante crítica ao sistema político da época, se encararmos a figura do rei, claro que ainda que velada e arquetípica, mas ele não poupa de ironia a divisão de castas da nobreza. As fábulas tinham em suas morais uma função crítica e satírica forte. Não foram pensadas para ensinar boas maneiras, mas para compor um retrato da natureza humana e social que, talvez até revelem uma visão pessimista”, diz.


Moral da história: é um evento imperdível.

Sobre a BDB Cultural

A BDB Cultural é uma iniciativa do governo federal, por meio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, em parceria com a Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles (BDB) e, por meio de um termo de colaboração, com a organização social Voar Arte para a Infância e Juventude. A agenda que o projeto executará na BDB segue até março de 2022.

“Com a BDB Cultural, vamos renovar a prática de ser uma referência a outras bibliotecas do país para que elas possam abrir suas asas para voos mais altos e dar vida aos seus espaços”, diz o coordenador-geral da BDB Cultural, Marcos Linhares.

Para saber mais sobre os próximos cursos e eventos oferecidos, acompanhe as novidades da BDB Cultural no Youtube (https://www.youtube.com/c/BDBCultural), no Facebook (https://www.facebook.com/bdbcultural), Instagram (https://www.instagram.com/bdbcultural/) e no site www.bdbcultural.com.br da iniciativa.


Sobre La Fontaine

Jean de La Fontaine é um escritor francês que supostamente nasceu em 08 de julho de 1821, mas a data exata é motivo de controvérsia. É autor das Fábulas, coletânea de histórias curtas que publicou ao longo de 25 anos, reunindo mais de 240 poemas, de 1668 até quase a data de sua morte, em 1695. É tido como um dos maiores ícones da arte do absolutismo francês, embora tenha sido conhecido particularmente por uma “personalidade avessa às convenções e à religiosidade”, como define o professor Leslie Clifford Sykes para a Britannica.


Os participantes da mesa

Profa. Margarida Patriota - Mestre e doutora em Literatura Francesa, lecionou por 28 anos Teoria da Literatura, Literatura Brasileira e Literatura Francesa no Departamento de Letras da Universidade de Brasília (UnB). Autora de 18 livros, entre livros juvenis, ensaios, romances, poesia, contos, traduções e entrevistas.

Prof. Lemuel Gandara - Artista plástico. Doutor em Literatura pela Universidade de Brasília (UnB) Profícuo pesquisador dos processos receptivos entre Literatura e outras artes, com ênfase em cinema literário brasileiro, tradução coletiva e artes cinêmicas.

Profa. Sara Rabelo - Doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia (2021). Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia (2017) É professora de Latim e Inglês. Atualmente é Professora de Inglês no Centro de Educação Profissional Articulado do Guará (Cepag). Em suas pesquisas acadêmicas atua principalmente com os seguintes temas: Estudos Clássicos, Literatura Brasileira, Literatura Inglesa e Ensino.

Serviço:

BDB Cultural – Julho de 2021

Mesa por ocasião do quarto centenário do nascimento de Jean de La Fontaine, poeta e fabulista francês. Autor das fábulas, "A Lebre e a Tartaruga", o "Lobo e o Cordeiro", entre outras. Com a participação das professoras Margarida Patriota, Sara Rabelo e do pesquisador Lemuel Gandara.

8/7 - Transmissão no Youtube e no Facebook da BDB Cultural, às 21h.

Outras informações:

Site www.bdbcultural.com.br

Facebook.com/bdbcultural

Instagram - @bdbcultural

35 visualizações0 comentário