Buscar
  • BDB Cultural

Curso “Cultura maker” transforma público em inventor em 10 encontros



Curso terá 35 inscritos que receberão, gratuitamente, kits para iniciar suas próprias invenções


Este será o primeiro curso a ser transmitido também nas redes sociais da BDB Cultural



FOTO: Prof Rodrigo-Furtado - Arquivo Pessoal - BDB Cultural


Por que o ventilador só gira e o drone voa? Como funciona um alarme de segurança? E dá para fazer ventilador e alarme só com materiais recicláveis?

Quando se trata do movimento maker, que aproxima do público as invenções tecnológicas, desmitificando-as, tudo sempre começa a partir das perguntas e a resposta é sempre a mesma: testar para descobrir. As respostas criativas que cada um pode dar para as próprias dúvidas sobre o funcionamento de tecnologias do cotidiano, além das diversas formas de construir equipamentos elétricos com materiais simples são o cerne do curso “Cultura maker”, atividade que terá 10 encontros na programação da BDB Cultural, começando em 03 de abril e seguindo até 26 de junho.

Assim como todos os cursos oferecidos na programação da BDB Cultural, este só dará certificados e só permitirá que ingressem na reunião da aula os alunos inscritos — o diferencial é que desta vez a ação ficará registrada também no Youtube da BDB Cultural para que o público geral possa acompanhar a atividade. O curso será comandado pelo professor Rodrigo Furtado, sócio da MetaMaker, empresa especialista em aproximar as invenções eletrônicas de um público amador.

Será ofertado um total de 35 vagas para o curso que terá também aproximadamente 40h de duração. As inscrições serão feitas on-line e ficam abertas até 1º de abril ou até as 35 vagas disponibilizadas serem preenchidas. A seleção será por ordem de preenchimento do formulário de cadastro disponível no link https://forms.gle/WuAfGDZqHRTz4sJb7

O evento será realizado em seus 10 encontros das 10h às 12h e das 14h às 16h. Para participar, é preciso ter mais que 16 anos, um acesso estável à internet e, principalmente, disponibilidade em todos os dias da aula e para buscar o kit de equipamentos que será ofertado pela BDB Cultural na sexta-feira que antecede a primeira aula, dia 02 de abril, das 9h às 17h.

Neste kit o público terá algumas ferramentas que vão ajudá-lo a executar as atividades propostas ao longo do curso, mas a maioria das invenções a serem feitas serão com objetos comuns do dia a dia que serão propostos pelos próprios participantes.

“Esse é um movimento que incentiva o aprender fazendo. Então, embora seja introdutório, os encontros terão todos, desde o primeiro, a ideia de pôr a mão na massa. No primeiro encontro, por exemplo, além da introdução ao tema da cultura maker a gente vai fazer a apresentação de técnicas de termoformagem e os alunos inscritos terão formas para fazer até os próprios ovos de Páscoa já no primeiro encontro. No segundo encontro os alunos já vão aprender a fazer o próprio alarme de segurança. Vai tudo ser uma progressão de conhecimento até o último encontro, onde os próprios alunos que irão apresentar suas invenções para nós”, diz Rodrigo. A agenda completa de cada um dos encontros e o tema a ser trabalhado está mais abaixo.

Gambiarras inspiradoras

O professor Rodrigo Furtado começou a se interessar por ensinar o público a inventar a partir do contato que ele teve com estudantes de escolas públicas quando cursava engenharia elétrica na UnB. Ele viu as máquinas de impressão 3D, os kits de peças importadas, toda uma realidade de equipamentos que eram apresentados em ações, mas que estavam distantes do que aquele público podia ter acesso. Foi assim que ele decidiu buscar materiais mais baratos e comuns para ajudar as crianças a darem asas à imaginação.

“O movimento maker nasceu em garagens, porões, pequenas comunidades. O surgimento dessas tecnologias que temos hoje veio junto com essas comunidades que viviam de improviso. O movimento de fazer por si mesmo, porém, ganhou uma força a partir de uma mudança geracional. Nossos pais viviam um mundo de consumo e agora a gente vive um mundo de experiência. Por isso estamos tão interessados em viver os processos completos das coisas, resolver por própria conta nossos problemas”, afirma Rodrigo.

Ele conecta essa capacidade criativa da cultura maker com um aspecto bem nacional do improviso: a gambiarra. “A gambiarra é muito vista como negativa, mas faz parte do movimento maker, é justamente sobre você ir lá e fazer uma solução para seu próprio problema. O brasileiro está acostumado a criar coisas que resolvem o problema da vida dele. O que a gente está fazendo, de maneira intuitiva, é criar soluções criativas que se diversificam da resposta-padrão. Isso, na verdade, é inventar, é aplicar o método científico de experiência e teste, de tentativa e erro, mas de uma forma que às vezes é arriscada. O que a gente faz é uma formação para criar soluções tão interessantes quanto a imaginação permitir, mas reduzindo o risco”, conclui o professor.

Confira a programação completa das aulas do curso

1. Dia 03/04 - Introdução ao Movimento maker / meta-circuitos / estudo da termoformagem a partir de uma forma de ovos de Páscoa.

2. Dia 10/04 - Engenharia reversa, tentativa de reparar um equipamento que parou de funcionar. Atividade eletrônica.

3. Dia 17/04 - Programação de drones.

4. Dia 08/05 - Atividades de mecânica e marcenaria.

5. Dia 22/05 - A Robótica com um showroom de robozinhos artesanais.

6. Dia 29/05 - O uso da sucata e de recursos acessíveis em projetos.

7. Dia 05/06 - Como funciona uma cortadora a laser ?

8. Dia 12/06 - Impressão 3D e termoformagem.

9. Dia 19/06 - A cultura maker no cinema: stop motion / técnicas de gravação (suporte celular) e de iluminação (óptica).

10. Dia 26/06 - Feira de Invenções on-line (De 3 a 5min para cada integrante do curso apresentar a sua invenção).

Sobre a BDB Cultural

FOTO: Fachada - Gustavo Cordeiro - BDB Cultural


A BDB Cultural é uma iniciativa do governo federal, por meio do Ministério do Turismo, em parceria com a Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles (BDB) e, por meio de um termo de colaboração, com a organização social Voar Arte para a Infância e Juventude. A agenda que o projeto executará na BDB segue até março de 2022.

“Com a BDB Cultural, vamos renovar a prática de ser uma referência a outras bibliotecas do país para que elas possam abrir suas asas para voos mais altos e dar vida aos seus espaços”, diz o coordenador-geral da BDB Cultural, Marcos Linhares.

Para saber mais sobre os próximos cursos e eventos oferecidos, acompanhe as novidades da BDB Cultural no Youtube (https://www.youtube.com/c/BDBCultural), no Facebook (https://www.facebook.com/bdbcultural) e no Instagram (https://www.instagram.com/bdbcultural/) da iniciativa.

Sobre Rodrigo Furtado e a MetaMaker

Rodrigo Furtado é formado em engenharia elétrica pela UnB. É fundador da MetaMaker e um dos educadores da iniciativa. Ela já realizou colônias de férias e parcerias com diversas escolas, públicas e particulares, do Distrito Federal. Rodrigo é também o criador do “Meta-Circuitos”, um kit de experiências elétricas simples que é vendido no site da empresa dele e que busca aproximar a engenharia do público infantil — usando muitos dos materiais recicláveis que ele trabalhará na oficina e, assim, barateando o custo do conjunto.

Serviço:

BDB Cultural – Abril de 2021

Curso “Cultura Maker” com o professor Rodrigo Furtado e com a equipe da MetaMaker. Aulas de 03 de abril a 26 de junho.

03/04 a 26/06 - Aulas exclusivas para inscritos, que devem retirar o material gratuito no dia 02 de abril, com posterior transmissão gratuita no Youtube da BDB Cultural para o público geral. Confira a programação completa dos encontros.


Outras informações:

Facebook.com/bdbcultural

Instagram - @bdbcultural

377 visualizações2 comentários