Buscar
  • BDB Cultural

Célia Rabelo faz homenagem póstuma na Quinta Sonora

Cantora homenageia em show no dia 29 Maria da Conceição Moreira Salles, amiga pessoal dela que foi diretora da BDB e que empresta nome à instituição




FOTO: Célia Rabelo - Lucas Rezende/BDB Cultural


Antes de começar a cantar um pot-pourri de canções de Lupicínio Rodrigues, Célia Rabelo avisa: “vou fazer pela memória da minha amiga”. O repertório era um pedido de Maria da Conceição Moreira Salles, ex-diretora da Biblioteca Demonstrativa do Brasil, que pedia um show com esse repertório. “Infelizmente, não deu tempo”, diz a cantora em sua apresentação no Quinta Sonora, evento mensal, que será transmitido nas redes sociais da BDB Cultural no dia 29, às 19h.

O momento da homenagem póstuma é emocionante para quem assiste, mas também o foi para a própria cantora, que havia sido uma frequentadora assídua da BDB antes do seu fechamento para reformas, em 2014. “Eu ia para a biblioteca para conversar com Conceição, para tomar chá, para mim era uma segunda casa. Foi muito emocionante retornar a ela”, diz a cantora em entrevista.

“Eu geralmente não tremo, não fico nervosa. Mas nesse show eu fiquei tremendo. Minha voz ficou embargada, especialmente quando cantei pra ela o Lupicínio Rodrigues. Embora todo o show tenha sido feito pensando nela e rolou uma coisa muito legal, eu senti a presença da Conceição. Eu senti que ela estava ali, vendo o show, animada como sempre com o trabalho que ela fazia”, afirma Célia. Na apresentação, que garante Célia que foi feita muito no improviso, a acompanha o violonista Beto Cardoso.


FOTO: Célia Rabelo - Lucas Rezende/BDB Cultural


“Sinceramente, enquanto me apresentava eu pensei muito nessa coisa de distanciamento social, nesse momento de pandemia. Aglomerar é tão bom, sentir saudade é tão bom, é mostra de que amamos, de que sentimos falta. Pensei tudo isso quando cantei, quando montei o repertório. Sobre valorizar o que temos e o que tivemos. Gilberto Gil tem uma canção linda que diz que as coisas no mundo são as bijuterias de Deus. É lindo pensar que agora há mais gente valorizando a preciosidade do ar, do amor ao próximo, do amor aos que partiram. Não havia como não se emocionar cantando assim”, conclui a cantora.

Sobre a BDB Cultural

A BDB Cultural é uma iniciativa do governo federal, por meio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, em parceria com a Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles (BDB) e, por meio de um termo de colaboração, com a organização social Voar Arte para a Infância e Juventude. A agenda que o projeto executará na BDB segue até março de 2022.

“Com a BDB Cultural, vamos renovar a prática de ser uma referência a outras bibliotecas do país para que elas possam abrir suas asas para voos mais altos e dar vida aos seus espaços”, diz o coordenador-geral da BDB Cultural, Marcos Linhares.

Para saber mais sobre os próximos cursos e eventos oferecidos, acompanhe as novidades da BDB Cultural no Youtube (https://www.youtube.com/c/BDBCultural), no Facebook (https://www.facebook.com/bdbcultural), Instagram (https://www.instagram.com/bdbcultural/) e no site www.bdbcultural.com.br da iniciativa.

Sobre Célia Rabelo

Célia Rabelo é cantora e se apresenta desde 1990. Brasiliense, é filha de instrumentistas, pai Maurício (Cavaquinista) e sua mãe Maria Diva (Acordeonista). Ela realizou vários espetáculos em teatros, festivais e eventos musicais pelo Brasil e exterior, indo ao Haiti em 2004, França em 2005 e Jakarta em 2010. Em 2005, gravou o primeiro CD: “Tudo bem”. A artista também interpretou canções ao lado de renomados artistas como Jair Rodrigues, João Donato, Vander Lee e Paulinho Pedra Azul, entre outros.

Serviço:

BDB Cultural – Abril de 2021

“Quinta sonora” com Célia Rabelo.

29/04 - Transmissão no Facebook e no YouTube da BDB Cultural, às 19h.

Outras informações:

Facebook.com/bdbcultural

Instagram - @bdbcultural

16 visualizações0 comentário